• Victor Vaz

Batendo a clara do ovo

Atualizado: Ago 22

Hoje minha mãe me pediu para ajudar ela a cozinhar e bater uma clara.


Antes de tudo, gostaria de informar que sou mais do que inexperiente em bater clara. Ou em cozinha. Mas sei fazer panqueca.


Ela me mostrou como fazer o movimento circular, em altíssima velocidade, e me ofereceu o prato e a ferramenta. Imediatamente comecei a bater a clara numa velocidade relativamente próxima de Mach 1. Após alguns minutos percebi que meus dedos estavam doendo, meu braço estava doendo e meu ego estava doendo, pois havia feito um esforço tremendo e não havia nem sinal da tarefa designada a mim estar perto do fim. Foi aí que percebi que, como não conseguia mais bater a clara com a mão direita, teria que bater com a esquerda, o pesadelo de todo destro, a mão esquecida.


Logo que comecei vi que a velocidade estava bem inferior à anterior, então pensei:

"Eu vou ter que ficar um bom tempo aqui batendo essa clara, não posso inutilizar meu braço esquerdo também e não terminar o serviço". Relaxei o braço, relaxei os dedos, estendi ki o máximo que a temperatura atual permite, 5º C, e fiquei batendo a clara lentamente, com o braço relaxado, por vários minutos.


Estava compenetrado na minha atividade quando minha irmã mais nova pega o prato da minha mão, começa a bater a minha clara e diz "Tem que ser mais rápido! O quentão ta quase pronto".


Falhei na atividade designada a mim, mas tenho certeza que estou melhor em bater clara, ou ao menos em estender ki, ou os dois, no fim é isso que importa, não é?


Agora vou pedir licença para vocês e tomar meu quentão!


25 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

A Vida de Tempu Nakamura (6)

Por Sawai Atsuhiro RETORNANDO AO JAPÃO Antes de voltar ao Japão, Saburo foi à terra, em Shangai, para uma troca de navios. Ali ele encontrou um de seus velhos amigos, o sr. Enza, embaixador japonês na

A Vida de Tempu Nakamura (5)

Depois de alguns dias, Saburou notou que era capaz de ouvir cigarras trinando, o som do vento tocando a folhagem, e mesmo o uivo de uma pantera e de um lobo no fundo da floresta. Feliz, ele contou tud