TEMPO

De tempos em tempos nós nos frustramos com o tempo.

Esse danado desse tempo tem essa mania de não parar! E sempre dá a sensação pra gente que é possível revertê-lo, detê-lo, retrocedê-lo, voltar àqueles bons dias onde os verbos eram conjungados com hífen seguido de "lo".

Mas esse danado desse tempo não pára. Ele não volta para esses bons tempos e, quanto mais ele passa, mais dá a ideia de que antigamente era coisa boa, coisa fina, imaculado.

O tempo mente. O tempo não te dá tempo de relembrar em detalhes o que se passou nesse tempo que você está lembrando. Porque a única maneira de lembrar de todo aquele tempo que já passou seria revivê-lo. E, se você fizer isso, aquele tempo vira o presente e assim você vai se lembrar daquele outro tempo, mais antigo ainda, que lá que era bom.

Nostalgia e saudades são coisas poderosas e saudáveis de se ter, mas reforce no seu pensamento que o melhor tempo do mundo é o agora. Porque nele você está aqui, nele você pode exercitar sua saudade, nele você pode tomar atitudes para melhorar o mundo ao seu redor - o pequeno (do seu corpo), o médio (da sua casa), o grande (da sua comunidade) e o todo.

Obrigado por gastar seu tempo lendo esse texto.



2 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

A Vida de Tempu Nakamura (6)

Por Sawai Atsuhiro RETORNANDO AO JAPÃO Antes de voltar ao Japão, Saburo foi à terra, em Shangai, para uma troca de navios. Ali ele encontrou um de seus velhos amigos, o sr. Enza, embaixador japonês na

A Vida de Tempu Nakamura (5)

Depois de alguns dias, Saburou notou que era capaz de ouvir cigarras trinando, o som do vento tocando a folhagem, e mesmo o uivo de uma pantera e de um lobo no fundo da floresta. Feliz, ele contou tud